junho 16, 2009

UMA FESTA POPULAR

Em que pese as ocorrências de caráter policial registradas durante a Parada GLBT 2009, que marcaram mas não tiveram o condão de estragar o espetáculo da manifestação popular, o movimento, ao ingressar no seu décimo ano, pode ser considerado como um verdadeiro sucesso.

Os cálculos extra oficiais indicam a participação de três milhões de participantes a desfilarem na Avenida Paulista, dentre os quais se destacam famílias inteiras que se fizeram acompanhar até mesmo de crianças de colo, fato que, por si só, já denota o respaldo popular que o evento ganhou com o passar do tempo.

A Prefeitura de São Paulo acabou por admitir que o evento é maior do que a estrutura da Avenida Paulista, exigindo, quiçá, o seu futuro deslocamento para outro local mais adequado, a fim de se evitarem os incidentes ocorridos no domingo passado.

Já há algum tempo a Parada GLBT deixou de ser um evento regional, iniciado com o objetivo de protestar contra a homofobia e chamar a atenção da sociedade como um todo para a realidade de milhares de brasileiros que decidiram assumir um relacionamento com pessoa do mesmo sexo ou adotar o sexo de sua preferência como sendo aquele pelo qual se apresentam em sociedade.

Nesse sentido é que a Parada GLBT converteu-se numa festa popular, caracterizada pela clara manifestação de defesa da liberdade de escolha pessoal, vez que cada um tem o direito de livremente exercitar a sua individualidade independente da opinião alheia, desde que observe as leis que regulam a sociedade. Por outro lado, o engajamento de famílias inteiras nesse movimento demonstra que a homofobia está sendo combatida e a diversidade não é mais conceito isolado propagado por políticos de ocasião e sim uma proposta sólida e que merece completa adesão de todos os que se filiem à democracia.

A Avenida Paulista ficou realmente pequena para a massa dos que empunhavam a importante bandeira ostentada pelo mencionado movimento. Está mais do que na hora da sociedade passar a aceitar, respeitar e proteger as diferentes preferência sexuais de cada um dos seus cidadãos, combatendo a discriminação, ofertando um leque de direitos, dentre os quais, o do reconhecimento civil dos casais compostos por pessoas do mesmo sexo.

O Estado é laico e deve assim permanecer, impedindo que intervenções religiosas e meramente preconceituosas continuem a obstar o direito dos que são injustamente excluídos da rede de proteção social.

Mais do que isso, a Parada GLBT 2009 provou que os verdadeiros clamores populares não precisam de decretos de instituição de feriados ou cotas para que a população lhes dê atenção, basta a adesão voluntária conquistada pela perseverança e a força daqueles que perseguem o ideal de justiça e igualdade.

2 comentários:

Tetê disse...

Eu vi na TV... quanta gente! Acho que nenhum outro evento consegue reunir tanta gente! Agora é triste ver os incidentes devido a intolerância... Cada um sabe de si, sabe o que é melhor prá si... respeito, né? Será que algum dia isso será possível? Obrigada, queridos, pela visita! Bjks Tetê

Cris disse...

concordo com você e nesse aspecto admiro demais as pessoas que vencem os preconceitos e vão a luta pelo direito de existirem do jeito que são...
Penas que noticias como as do dias seguintes mostre que ainda gente assim incomoda tanto que estouram bombas com 21 feridos, pessoas apanham gratuitamente...ainda temos muito que caminhar como humanidade para aprendermos a nos respeitar...

E adorei seu comentário lá no meu Blog...apareça sempre...felicidades para o casal...

abraços

Cris

Blog Widget by LinkWithin