julho 30, 2009

AME POR AMOR


A tarde fria e cinzenta, um tanto solitária me traz como companhia alguns pensamentos e lembranças que chegam oportunamente, e me remetem ao passado, em uma tarde muito parecida com essa, por demais quieta, escura, em que a gente se despreende de si mesmo desatando os nós que nos prendem a realidade, ao presente, nos levando quem sabe, a um outro lugar, a um outro tempo nos dando a sensação - mesmo que ilusória - de liberdade.

As flores tão vivas do ipê roxo contrastavam com aquele dia de inverno, como se em um quadro as cores se destoassem entre si, fazendo com que aquela paisagem ficasse fora de lugar, incomodando até mesmo aqueles olhos acostumados a falta de cores daquele dia, que já nublados por dentro prefeririam o preto e o branco. Os bancos que margeiam o caminho estavam convidativos, até mesmo acolhedores apesar do frio, e encantada com as flores do ipê, e sabendo que estava adiantada, cedi ao convite mudo que recebi da paisagem e me sentei ali, deixando ser levada pela beleza tímida, pelo silêncio, pela vida e até mesmo pela morte ( companheiros inseparáveis), daquele lugar.

O pátio além das amendoeiras estava vazio. O vento varria a poeira como se fosse um passo de dança cheio de rodopios. Ao longe vi Maria do Carmo recolhendo-se, guardava seus bordados, enfiava-os na pequena bolsa que sempre trazia consigo. Seguia rápida subindo as escadas e acredito que não tenha me visto, caso contrário, teria vindo bater um daqueles longos papos que ela adora, falar dos rapazes bonitos que ela vê passar lá fora, sendo quase todos pretendentes a namorá-la, ela sempre diz que um dia vai se casar e sair dali. Entrou apressada, as janelas estavam fechadas, as varandas vazias, não me recordo de ter visto aqueles prédios tão quietos como estavam naquela tarde. Ouvi o barulho da enxada ali perto, e ao olhar para trás confirmei o que já suspeitava: O Valdemar trabalhava na horta. Até mesmo em uma tarde de sábado pensei, me esquecendo que ali os dias da semana já não fazem muita diferença. Cabelos brancos feito algodão, baixinho, de bermuda, chinelo e camiseta parecia não sentir o frio que fazia. Aquela horta era seu orgulho, e era com muito carinho e dedicação que ele cuidava dela todos os dias, as verduras eram viçosas e abundantes assim como os legumes que ele fazia questão de dar a quem os quizesse.Também não me viu, estava distraído demais no seu trabalho. Olhando um pouco adiante vi a capela, que aberta estava muito convidativa, não somente por saber que lá dentro estaria mais quentinho, mas especialmente por ter a certeza do quanto ela era especial e importante para quem morava naquele lugar.

A imprensão que eu tenho é que estava em uma ilha, um local parado no tempo, envolto pela cidade e seus tantos barulhos lá fora.

Não o vi chegar. Quando notei sua presença ele já estava perto do banco em que eu estava sentada, nos cumprimentamos com um aperto de mão e um abraço apertado e se ele sentou ao meu lado. Após constatarmos que não tinha chegado ninguém ainda além de nós, foi com alegria que começamos a conversar e como se repetisse o meu gesto olhou em volta e me disse:

- Parece que a alegria não vive aqui, não é mesmo? Parece que em dias assim o sentimento de abandono é mais forte, tão forte que incomoda nos deixando sem lugar.

Concordei com ele e contei o que eu observava antes dele chegar. Me recordo de ter dito a ele o quanto aquilo tudo mexia comigo, e me deixava até mesmo triste, sempre com aquela sensação de impotência perante a vida, por vezes inconformada por serem as coisas como são, me fazendo duvidar de tantas coisas, deixando até mesmo de acreditar e de ter esperanças. Ele falava calma e pausadamente com a sabedoria adquirida pelos tantos anos já vividos, e conversar com ele era sempre um presente:

- Não se entristeça. Até eu mesmo após tantos anos ainda me sinto assim as vezes. O que acontece é que a gente se prende muito a coisas sem importância, somos mesquinhos, egoístas.Valorizamos coisas sem valor, enquanto temos tudo para sermos pessoas melhores e não enxergamos isso. Temos amor, somos amados e somos capazes de magoar quem nos ama por verdades que só nós mesmos vemos, quando tínhamos que ser mais humildes e agradecer a quem tanto nos ama. Quer uma receita de felicidade menina? "Ame por amor". Não ame por nada menos que o amor. Eu estou aqui por amor. Você está aqui por amor, já parou e pensou nisso? É por amor que saímos de nossas casas nessa tarde fria, deixando nossa família para estarmos aqui e tentar fazer o dia a dia desses pessoas mais digno. É por amor que chego aos 79 anos casado e amando a minha esposa como se fosse o primeiro dia que a vi. É por amor que um dia você vai se casar. É por amor que o Valdemar trabalha na horta sem parar e apesar de não ter ninguém nessa vida está sempre nos presenteando com o seu sorriso. A vida só vale a pena se for vivida por amor.

As pessoas que participariam da reunião começaram a chegar, nos juntamos a eles e entramos.

Nunca me esqueci dessas palavras, como nunca me esqueço desse grande amigo. Me recordo da bondade que eu sempre vi naqueles olhos e do amor que ele sempre ofertou ao mundo. Me recordo das flores tão vivas daquele ipê que por amor, devem estar colorindo essa tarde fria e a paisagem do asilo como naquela tarde de anos atrás...

19 comentários:

Aninha Pontes disse...

Quando amamos por amar, sentimos a felicidade nas coisas simples.
Qualquer ato, por mais bobo que possa parecer, é uma expressão de felicidade, quando a fazemos com amor.
A alegria reina no coração de quem ama.
è simples assim.
Um beijo queridos.

Pena disse...

Sublimes Amigos de Fascínio:
Fiquei "siderado" por esta explosão de doçura e encanto.
Onde está o livro para colocar este lindíssimo texto?
Pura e simplesmente, DELICIOSO. LINDO.
Estou apático perante tanto encanto de literatura incrível e genial.
Parabéns sinceros, extraordinários amigos fabulosos. Emocionei-me imenso, acreditem?
Custa-me acrescentar mais alguma coisa, acreditem?
Fiquei sem fala pela pureza e beleza alucinante e maravilhosa...

Abraço forte de amizade e beijinhos de ternura e respeito...
Sempre a admirá-los pela ternura onde põem as mãos para fascinar...


pena


Lindos. Lindos.

Everson Russo disse...

É muito bom falar de amor, sentir amor, cantar e decantar o amor, obrigado pela visita ao Livro, adorei o blog de voces, otima leitura por aqui, abraços e otima noite de paz.

@philipsouza disse...

nao existe amor que dure por mentiras....sempre deve ser amado por ele....senao nao vivemos...


Agradeço a vc sempre presente entrando numa fria..

abraços

Alessandro William disse...

Adorei o texto, parabéns. muito bom mesmo.

Depois dêem uma olhada no meu blog

http://meustextosawss.blogspot.com/

Regina disse...

Muito lindo isso, Cris!

Amar por amor sempre foi o meu lema! Temos que ser sempre verdadeiros com nossos sentimentos, acima de tudo...

Grande beijo!!

Joรıє disse...

Escrever por amor!!
É assim q vc sempre o fez.. e suas palavras me cativaram desde os tempos de Fragmentos.
Cris ontem lembrei-me de vc, tava pensando será q um dia vamos nos encontrar, sei lá.. acredito q sim!!

aah Cris, o Mario ja publicou um livro?

Georgia disse...

Nada de amar por amar. A vida é muito mais que isso, nao é mesmo?

Um beijo

Everson Russo disse...

O amor tem que ser leve, solto, livre e natural, sem barreiras, sem fronteiras, tem que ter o caminho sempre aberto....um lindo final de semana pra voces...abraços carinhososo...

Gleidston disse...

Amar o amor amando-o faz-se um caminho por toda uma vida,é como a paz que transcende todo entendimento, belíssimo texto.

desejo á voces um otimo fim de semana.

Abraços!

Blue disse...

E dizem que basta amar!
E dizem que o amor é tão simples!
É acho que isso é verdade. Quando amamos, tudo nos parece mais fácil, mais bonito. É lindo amar, é lindo o amor!
Beijos

Tetê disse...

A vida sem amor não tem nenhum sentido! Mas amar por amor... sem interesse e nem segundas intensões! Viajei no seu texto... percorri a praça e pude ver cada pessoa! Obrigada por sempre compartilhar esse talento conosco!
Nesta Sexta desejo a vocês...
Que o inverno não seja tão rigoroso,pássaros cantando na sua janela, bolo gostoso com um café quentinho, o abraço sincero de uma criança e um fim de semana bem gostoso! Bjks da amiga Tetê

Joรıє disse...

dediquei novamente um selinho p/ Pensamento teclado :D
BeijO

Ulli disse...

Que lindo seu post! Gostei muito.
Bom, vi seu comentário lá no meu blog e queria agradecer. :D
Beijo grande.
Continue visitando o Mexericando, e eu vou continuar visitando aqui.

Leandro Capilluppi disse...

Que lindo!!!
Parabéns!
Uma ótima semana pra vcs!

Regina disse...

Queridos amigos,

passando para desejar-lhes uma linda semana!!

Beijos!!

Nilson Barcelli disse...

Amar por amor é lindo.
Mas muito difícil nalguns aspectos da vida, como no trabalho, por exemplo...
Um excelente texto queridos amigos. Gostei imenso.
Beijo para a Cris e abraço para o Mário.

Georgia disse...

Bom fim de semana prá vocês!

Aninha Pontes disse...

Mário querido:
Tenha um lindo e feliz dia dos pais.
Um beijo prá vc outro para a Cris.

Blog Widget by LinkWithin