julho 04, 2009

MÚSICA APENAS

Música é um assunto sempre interessante, você não acha?
Uma noite dessas enquanto cozinhava, me peguei a cantar a música que tocava no rádio, distraída, me deixei levar pela agradável sensação que aquela canção me trazia, a lembrança da música tão bonita, daquela banda que hoje nem existe mais e que sempre foi uma das minhas bandas preferidas. A volta ao passado foi inevitável e desde então venho pensando no quanto a música faz parte da minha vida. Trago comigo as recordações de uma adolescência marcada pela música e pensando nisso hoje, me impressiona constatar o quanto certas descobertas feitas naquela época estão ligadas aquele universo musical que embalou a mim e grande parte das pessoas da minha geração.
"Musicais" anos 80. Marcados historicamente pelo fim de 21 anos de "Ditadura Militar". O cenário brasileiro era composto de uma inflação e recessão altas. Época que marca o surgimento dos primeiros partidos de oposição e o fortalecimento dos sindicatos. O movimento das "Diretas Já" ganhou força e forma em 1984, com a participação de artistas, políticos de oposição e milhões de brasileiros, mas a "Emenda Dante de Oliveira" (que garantia as eleições diretas) não foi aprovada pela Câmara dos Deputados. Em janeiro de 1985 o Colégio Eleitoral elegeu Tancredo Neves como Presidente da República que não chegou a assumir e após a sua morte seu vice José Sarney passa a ser o primeiro presidente da república não militar( 1985 a 1990).
Paralelo a esses acontecimentos e em meio aos primeiros ventos da redemocratização e a efervescência social e política no Brasil, surgem as primeiras bandas do rock brasileiro que passam a fazer parte da história de uma geração e suas descobertas.
Um jovem poeta soube como poucos interpretar, transmitir e expressar as angústias, o medo do desconhecido, tantas e tantas dúvidas que fazem parte desse universo complexo que é um adolescente, sentimentos e as suas dores tão iguais as nossas. Conseguiu transmitir em cada letra a sua delicadeza e inteligência, letras que vem atravessando décadas e que sobrevivem encontrando eco em novas gerações . Nos idos de 1987 ao compor e cantar "Que país é este?" entra para a história da música brasileira, despertando muitos jovens para a consciência política, e nos deixando uma canção que após 22 anos é muito atual. Não podendo deixar as coincidências de lado, ironicamente, já que o nosso presidente da época esteve sempre em destaque no cenário político nacional e hoje mais ainda, figura como destaque nas manchetes dos jornais.
"Nas favelas, no senado, Sujeira pra todo lado. Ninguém respeita a constituição,todos acreditam no futuro da nação, Que país é esse?... Terceiro mundo, se for. Piada no exterior. Mas o Brasil vai ficar rico, vamos faturar um milhão quando vendermos todas as almas dos nossos índios num leilão...Que país é esse? Que país é esse? " - Renato Russo-
Mais de vinte anos depois é impossível não comparar a música e os adolescentes e jovens de hoje com os da minha geração, e o que eu sinto é que éramos mais responsáveis, antenados e talvez o mais importante: Éramos mais doces também. Sem essa agressão gratuíta que faz parte da personalidade da grande maioria desses jovens, não querendo ser reprimidos, se julgam criticados demais e não aceitam outra forma de ver e viver a vida senão a deles. Embalados pelo modismo que dita até mesmo as regras de comportamento que devem seguir se perdem de si mesmos modificando a sua essência. Bem por isso, é impossível também não sentir falta de boas músicas. Músicas apenas. E não palavras que chegam a ser até mesmo agressivas ao serem cantadas incentivando a violência e toda a sorte de desvio, uma influência negativa infelizmente.
Seria muito bom se hoje as influências fossem outras, e se a doçura permanecesse. Ainda bem que as lembranças existem, especialmente aquelas que fazem parte da gente, e é tão bom poder recordá-las! E que bom que alguns grupos, bandas, cantores(as) envelheceram fazendo o que de melhor sabem fazer, e que vez por outra nos fazem voltar no tempo.
Fica a certeza de que a vida tem a sua trilha sonora, que seguimos compondo a cada momento de nossas vidas.
Fonte de pesquisa histórica: Diários da Ditadura

4 comentários:

Pena disse...

Amigos Simpáticos:
Parabéns sinceros. Um tema apaixonante e para reflectir.
A música sempre fez algo pela implementação das Democracia dos povos civilizados. No Brasil não se pode viver sem ela.
Não conheço muito bem o historial político do Vosso lindo Brasil. Sei que tem praias lindíssimas e paisagens de sonho, somente.
As pessoas são afáveis e doces.
É um país gigante sem fim e com músicas enternecedoras e encantadoras, como VOCÊS!
Também gosto imenso de música. Música minha de vanguarda, poderia citar alguns nomes, mas fica para depois...
Excelente post. Uma beleza e significação profundas e majestosas feitas pelo vosso admirável talento e genialidade latente e óbvia.
Abraço e beijinhos amigos de imenso respeito, estima e consideração.
Sempre a ler-VOS pelo encanto e beleza que aí "moram".
Cordialmente e ao dispor SEMPRE!


pena

Adorei, fabulosos amigos.
Conheço bastantes nomes da música do vosso país de sonho.

Du disse...

Acho que a música tem uma linguagem universal, não é mesmo? Com ela expressamos o que há de melhor e pior em nós.

Que vocês tenham uma ótima semana, iluminada de amor e paz!

Regina disse...

Olá, amigos!

A música tem esse poder de nos fazer voltar ao passado, relembrar bons momentos, fatos que marcaram nossas vidas...

Eu também vivi nessa época e sempre costumo dizer que os anos 80 foram os melhores...

Concordo plenamente que nossa geração era mais engajada, mais atuante... Infelizmente, a moçada de hoje já não liga mais pra nada, talvez pelo fato de já ter se acostumado com toda essa "baderna" que sempre existiu em nosso país... Esse pessoal já nasceu no meio disso tudo, então, creio que já até achem que seja o normal...

Sem dúvida, essa música do Renato Russo marcou e é, realmente, mais que atual, infelizmente... e eu me pergunto, até quando?!...

Bacana esse post, parabéns!!

Beijos!

Daniel Savio disse...

Engraçado, que acabei me lembrando desta música quando lia o post...

A música é um método sutil de comunicação, pois nela expressamos sentimentos mais livremente.

Fiquem com Deus, menina Cris e menino Mário.
Um abraço.

Blog Widget by LinkWithin